Notícias

Comunistas pedem a reabilitação, defesa e modernização de toda a Linha                

Em defesa da Linha do Vouga, as Organizações Regionais de Aveiro e Viseu do PCP lançaram, no passado dia 22, uma acção inter-distrital de defesa da Linha do Vouga.

Com esta iniciativa, o PCP pretende sublinhar a necessidade, quer para as populações, quer para o sector empresarial (particularmente o produtivo), da reabilitação, defesa e modernização de toda a Linha, ou seja, de Aveiro a Espinho e de Viseu a Sernada (com respectivo enlace entre os dois segmentos).

Segundo o PCP, a Linha do Vouga foi-se degradando por responsabilidade dos sucessivos governos PS/PSD/CDS, com particular destaque para o último Governo PSD/CDS que proclamou mesmo a intenção de a extinguir.

Refere ainda o comunicado do PCP que, “não obstando de qualquer forma a que se recorra a verbas comunitárias e outras receitas, o PCP considera que a intervenção na Linha do Vouga não pode ficar dependente dos critérios de entidades externas ao país ou estritamente regionais. É dever do Governo garantir a reabilitação de toda a Linha”.

De forma a tornar efectiva esta acção, o PCP apresentou no dia 22 de Fevereiro, na Assembleia da República, um projecto de resolução, defendendo precisamente a reabilitação, defesa e modernização da Linha.

 

Iniciativa da Câmara de Albergaria-a-Velha promove a criação de mais de 40 postos de trabalho 

O Programa de Incentivos à Criação do Próprio Emprego, iniciativa concebida pelo Município de Albergaria-a-Velha e cuja primeira edição teve lugar em 2015, está na origem da criação de mais de 40 postos de trabalho e de um volume de negócios estimado de cerca de 1 milhão de euros. 

No conjunto dos dois anos de aplicação da medida, já foram apoiadas 26 empresas e ideias de negócio.

O objectivo do programa, pioneiro em Portugal e inspiração para outras autarquias, é incitar empreendedores a investir, promovendo o desenvolvimento da economia local e a criação de condições para a empregabilidade. 

A Câmara Municipal disponibiliza 50 mil euros por ano para apoiar projectos empresariais ou ideias de negócio em Albergaria-a-Velha. 

Após um processo de avaliação de candidaturas, os empreendedores dispõem de um conjunto de incentivos anuais, não reembolsáveis, que podem chegar aos 4000 euros.

O programa contempla a atribuição de dois tipos de apoios: uma bolsa de incentivos no valor de 250 euros por mês, pelo período de um ano, de forma a facilitar a sua instalação no concelho; e um conjunto de apoios à contratação de serviços externos, um para serviços de contabilidade (300 euros/ano), outro para serviços de design (350 euros/ano) e um terceiro para consultoria financeira e/ou serviços de capacitação (350 euros/ano).

No primeiro ano do programa foram apoiados 12 projectos nas mais diversas áreas. 

No ano passado, o segundo ano do Programa de Incentivos, a Câmara Municipal apoiou 14 projectos.

No conjunto dos dois anos, foram criados mais de 40 postos de trabalho, enquanto o volume de negócios estimado destas empresas, em 2016, é superior a 1 milhão de euros.

 

A candidata preside actualmente à comissão política concelhia do PS em Estarreja          

Catarina Rodrigues é a escolhida pela Comissão Política Concelhia de Estarreja para encabeçar a lista do Partido Socialista à Câmara Municipal de Estarreja.

Após um período de reflexão interna, o processo de selecção dos candidatos terminou no passado dia 30 de Janeiro, com a eleição por unanimidade da candidata.

Catarina Rodrigues nasceu em Dezembro de 1969, é licenciada em ensino de Educação Física e mestre em Gestão Pública e Ciências da Educação. Actualmente frequenta o programa doutoral em Educação na Universidade de Aveiro.

O seu percurso político inicia-se no final da década de 80, quando se torna militante do Partido Socialista (PS), assume a liderança da Juventude Socialista e se torna um dos mais novos membros da Assembleia Municipal de Estarreja. 

Desde então, destaca-se pela participação activa nas estruturas dirigentes do PS e como vereadora na Câmara Municipal de Estarreja (entre 2005 e 2017). 

Actualmente preside à comissão política concelhia do PS em Estarreja.

 

BE quer "repor todas as carreiras, linhas, horários e paragens existentes antes de 01 de Janeiro "     

O Bloco de Esquerda (BE) de Aveiro anunciou hoje que vai propor na Assembleia Municipal "medidas urgentes" para repor a oferta de transportes públicos no concelho.

A proposta do BE vai no sentido de "repor todas as carreiras, linhas, horários e paragens existentes antes de 01 de Janeiro de 2017", data em que teve início a concessão ao grupo Transdev.

Pretende-se ainda "anular o aumento de preços dos bilhetes e passes" e "colocar em todas as paragens os horários actualizados, procedendo também à devida identificação de todas as paragens do município".

A proposta de recomendação sublinha que a 01 de Janeiro "o número de carreiras e de horários foi drasticamente reduzido e o percurso de várias linhas foi unificado, resultando em percursos mais demorados e autocarros completamente cheios, levando várias pessoas a abandonar o uso dos transportes públicos".

Por outro lado, o BE diz que os preços aumentaram, "nomeadamente com a criação de zonas e, de forma generalizada, o bilhete único aumentou", sendo que, "na linha 02 (de Cacia) o passe aumentou de 27 para 38 euros".

"É necessária uma análise profunda dos transportes públicos em Aveiro de forma a aumentar a sua qualidade e oferta, indo ao encontro das necessidades da população e de forma a criar uma cultura de utilização dos mesmos", sublinham os bloquistas, cuja líder, Catarina Martins, viajou segunda-feira naqueles transportes.

Hoje mesmo, o presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves, reafirmou à Lusa que "durante a primeira quinzena" deste mês será feita a "avaliação e definição das alterações" a introduzir no serviço de transportes que está a ser prestado, e "na segunda quinzena será feita a preparação e comunicação" das mudanças que se demonstrarem necessárias, as quais irão entrar em vigor a partir do dia 01 de Março.

Entretanto, referiu o autarca, fruto do trabalho conjunto com o concessionário, foram já resolvidas algumas deficiências detectadas, mediante ajustamentos pontuais, para melhorar o serviço prestado à população.

 

Pág. 1 de 23