Notícias

Cento e um dias depois da última conquista dos 3 pontos, CDE regressa às vitórias         

(Vitor Valente-RVR) De então para cá o Estarreja apenas por cinco vezes pontuou através de outros tantos empates.

A última vitória alcançada pela turma de Estarreja havia acontecido a 6 de Novembro de 2016, em Oliveira de Azeméis, ainda na 1ª volta da primeira fase do Campeonato de Portugal PRIO, e por números expressivos (5-2).

Ao receber em sua casa o Moimenta da Beira, último classificado da tabela, e pese embora ter empatado os dois confrontos na primeira fase com esta equipa, era importante alcançar hoje a vitória para aumentar distâncias no confronto directo com o seu adversário, criando desde já um fosso e,  ao mesmo tempo, aproximar-se da restante concorrência. 

Talvez por isso os momentos iniciais deram um claro sinal de que a equipa do CDE estava disposta a resolver cedo a contenda. 

Ainda o primeiro minuto não estava completo e já Jonathan desperdiçava a primeira grande oportunidade desviando com pouca força um passe de Marmelo permitindo que Kevin sacudisse para canto.

À pressão estarrejense nos primeiros vinte e cinco minutos respondeu o adversário com evidentes cautelas defensivas, o que inviabilizou grandes oportunidades de golo. 

O Moimenta procurava, sobretudo nas bolas paradas, aproximar-se da área do guardião João Oliveira embora sem  criar qualquer tipo de problemas pelo que o nulo verificado ao intervalo acabava por se justificar.

Sandro Botte deve ter pedido mais acutilância durante o tempo de descanso e a verdade é que a equipa partiu para uma exibição muito mais conseguida no segundo tempo.

Recorrendo a trocas de bola em velocidade, desmarcações constantes e confundindo o sector mais recuado do Moimenta, as oportunidades foram-se sucedendo. 

Alex, como sempre, assumiu a batuta, descobriu espaços onde estes pareciam não existire e Jonathan acabou por beneficiar de duas das muitas assistências do seu companheiro para fazer dois golos de belo efeito.

No primeiro recebeu ainda fora da área, de costas para a baliza, e rematou à meia volta com grande precisão. 

O segundo, muito idêntico mas já no coração da grande área, também não permitiu qualquer hipótese a Kevin. 

Entretanto Jonathan teve outras oportunidades bem mais fáceis de converter mas acabaria por se precipitar no momento do remate, ficando na retina um desvio quase na linha de golo para o poste direito da baliza de Kevin, defensor do Moimenta que, mais tarde, efectuaria a defesa da tarde quando desviou com a ponta dos dedos um remate acrobático de Marmelo, cheio de intenção, na sequência de um pontapé de canto.

Já em período de compensação, uma brincadeira de João Oliveira, que não foi lesto a despachar a bola depois de um atraso, permitiu que Camará ficasse com ela quando o guarda-redes estarrejense tentava recorrer à finta para a segurar. 

Assim, com a baliza à sua mercê, o avançado adversário aproveitou para reduzir e fixar o resultado final. 

Acto contínuo, Marco Cruz, juiz da partida, vindo da cidade Invicta, apitou pela última vez fechando um trabalho que genericamente se revelou positivo.

 

 

Foi oficialmente aberto este domingo o novo Skate Park da Murtosa.                     

Para além de várias dezenas de “riders” que se quiseram associar à abertura do novo espaço, a inauguração contou com a presença do Presidente da Câmara da Murtosa, Joaquim Batista.

Depois das intervenções do Presidente do Municípiol e de Bernardo Oliveira, da Academia dos Patins, exibiram-se no parque os riders João Viola (skate), Miguel Rebelo (patins em linha) e Rodrigo Vicente (bmx), aos quais se juntaram, depois, os muitos praticantes presentes, Murtoseiros e não só.

O Skate Park da Murtosa, que correspondeu um investimento do município de mais de 90 mil euros, está preparado para a prática de um conjunto de modalidades, como o skate, bmx e patins em linha.

A infraestrutura está localizada no Parque Municipal da Saldida, na freguesia do Monte, junto à Escola Padre António Morais da Fonseca.

 

CDE perdeu excelente oportunidade para conquistar os primeiros três pontos na fase de manutenção do campeonato

(Vitor Valente-RVR) O CDE perdeu uma excelente oportunidade para conquistar os primeiros três pontos, na fase de manutenção do campeonato, depois de realizar uma primeira parte de grande nível pese embora  não ter conseguido traduzir essa superioridade no resultado devido à falta de eficácia.

O magro um a zero com que se chegou ao intervalo não demonstrava, nem de perto nem de longe, a superioridade dos da casa.

Logo após o apito inicial o CDE lançou-se no ataque e criou oportunidade soberana por intermédio de Alex, depois de incursão de Jonathan pela ala direita do ataque,  com o desvio a sair ligeiramente ao lado do poste direito de Bruno Pinto.

O Estarreja não esmoreceu, continuou a praticar um futebol alegre, vistoso, muito ofensivo e à passagem do primeiro quarto de hora Alex acertou no alvo a passe de Marmelo que também escolheu o corredor direito do ataque para desbravar caminho para abrir a defesa contrária.

Estremeceu o Cesarense e a turma de Sandro Botte criava oportunidades sucessivas mas no capítulo da finalização as coisas não saíam bem.

Por duas vezes se reclamou grande penalidade na área do Cesarense mas o juíz de Aveiro, André Castro, entendeu que não havia motivo para o castigo máximo e o intervalo chegava com a vantagem mínima.

Manuel Monteiro, técnico da equipa de Cesar, reforçou o meio campo logo no reinício da contenda com a entrada de Hugo Silva e a verdade é que o CDE não mais teve vantagem nessa zona nevrálgica do terreno, tendo o jogo passado a ser mais equilibrado repartindo-se agora nos dois meios campos.

Apesar desse equilíbrio o Cesarense tinha algumas dificuldades em penetrar no último reduto do Estarreja mas Stanly aproveitou, de bola parada, na transformação de um livre directo, para restabelecer o empate aos 59 minutos.

Dois minutos volvidos, Gustavo, também de  livre directo, proporcionou a Bruno Pinto a defesa da tarde com estirada vistosa ao ângulo inferior direito da sua baliza, sacudindo para canto naquela que foi a melhor ocasião dos da casa para voltarem a adiantar-se no marcador.

Até ao final foi sempre o CDE a tentar chegar à vitória mas o discernimento começava a faltar numa partida em que Vítor Hugo regressou ao onze inicial e João Pedro voltava a uma casa que bem conhece.

Arbitragem intermitente de André Castro, com benefício da dúvida para os lances referidos anteriormente, mas mal auxiliado por Pedro Assunção que "tirou" dois fora de jogo mal assinalados no primeiro tempo em prejuízo da turma da casa.      

 

Jogaram por Portugal no torneio futebol ISF Jeem Cup, na distante Doha, no Qatar            

(fonte: Jornal de Notícias)  Cansados, mas felizes e orgulhosos, estes 15 alunos do Agrupamento de Escolas de Avanca.-Estarreja, aterraram em Lisboa depois de jogarem por Portugal no torneio futebol ISF Jeem Cup, na distante Doha, no Qatar.

Para muitos, foi mesmo a primeira viagem de avião e o batismo de voo não podia ter sido mais entusiasmante para estes meninos de 11 e 12 anos. 

Tinham sido selecionados para jogarem futebol 9x9 num torneio internacional, e logo na estreia do nosso país nessa competição de desporto escolar, que juntou crianças de 20países.

Ficaram no grupo D, com a França, a Tunísia, a Jordânia e a Croácia.

O torneio terminou esta quarta-feira, com a vitória francesa na final contra Marrocos.

 

Pág. 1 de 25