Notícias

Sessão teve lugar no Auditório da Associação, em Estarreja                        

SEMA completa 21 anos de actividade em 2017

Teve lugar ontem, nas instalações da SEMA–Associação Empresarial dos Concelhos de Sever do Vouga, Estarreja, Murtosa e Albergaria-a-Velha, em Estarreja, a respectiva Assembleia Geral Ordinária.

Na sessão foi apresentado o Relatório das Actividades referentes ao ano de 2016 bem como o Balanço e Demonstração de Resultados do mesmo exercício e a proposta de aplicação dos resultados, os quais revelaram um saldo positivo na ordem dos 4 mil e trezentos euros. 

Também o Plano de Actividades e o Orçamento para o ano de 2017 foram apresentados aos sócios da Associação presentes, tendo os mesmos sido analisados durante a Assembleia.

Todos os documentos mereceram parecer favorável do Conselho Fiscal e, postos à votação, foram aprovados, por unanimidade.

Refira-se ainda os votos de louvor propostos pelo Conselho Fiscal à Direcção e aos Colaboradores da Associação pelo esforço desenvolvido bem assim como aos Associados pela confiança manifestada na Associação.

A Assembleia Geral aprovou também, por unanimidade, a proposta da Direcção da atribuição de um voto de louvor à empresa sua associada, IMUNIS – Companhia de Desinfeções, Lda., pelo elevado grau de profissionalismo, reconhecido nos serviços prestados aos associados, bem como pela sua contribuição anual em benefício da Associação.

 

Tolerância é para os trabalhadores que exercem funções públicas                    

O Governo decidiu dar tolerância de ponto na terça-feira de Carnaval, no dia 28 de Fevereiro, aos trabalhadores que exercem funções públicas, refere um despacho assinado pelo primeiro-ministro, António Costa.

Segundo o despacho, o Governo justifica que "embora a terça-feira de Carnaval não conste da lista de feriados obrigatórios", existe em Portugal "uma tradição consolidada de organização de festas neste período".

Desta forma, prossegue o Governo, é concedida "tolerância de ponto aos trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado, sejam eles centrais ou desconcentrados, e nos institutos públicos, no dia 28 de Fevereiro de 2017".

O despacho assinado pelo primeiro-ministro, exceptua da tolerância "os serviços e organismos que, por razões de interesse público, devam manter-se em funcionamento naquele período".

Os trabalhadores da administração pública regional dos Açores também vão ter tolerância de ponto na terça-feira de Carnaval assim como os funcionários da administração pública regional da Madeira. No caso da Madeira, a tolerância estende-se à manhã de quarta-feira.

A 19 de Janeiro deste ano, o parlamento rejeitou os projectos do partido ecologista "Os Verdes" e do PAN (Pessoas, Animais e Natureza) para que a terça-feira de Carnaval fosse feriado nacional obrigatório, com os votos contra de PS, PSD e CDS-PP e favoráveis das restantes bancadas.

O anterior Governo do PSD/CDS-PP não dava tolerância de ponto no Carnaval, justificando a decisão com a aplicação do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal. Apesar disso, muitos municípios com tradições carnavalescas concediam tolerância aos respetivos munícipes.

 

SEMA promove Seminário sobre o tema, em Estarreja                                

A exemplo de anos anteriores, a SEMA – Associação Empresarial dos concelhos de Sever do Vouga, Estarreja, Murtosa e Albergaria-a-Velha,  com a colaboração e participação da Autoridade Tributária e Aduaneira – Direção de Finanças de Aveiro, vai realizar no dia 24 de Fevereiro de 2017, pelas 14h00, no seu Auditório, em Estarreja, um Seminário sobre o tema “Alterações do Orçamento do Estado – 2017”, tendo em atenção as alterações que, por força da lei orçamental, são introduzidas nos códigos do IVA, IRS e IRC.

Face à importância dos assuntos em análise, a SEMA apela à presença e participação dos associados interessados.

Inscrições abertas até ao dia 23, através do telefone 234 843 689 ou e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Numa amostra de 9 produtos de pintura para crianças , todos incluíam ingredientes desaconselhados

A associação de defesa do consumidor Deco revelou hoje que há pinturas faciais para crianças à venda com ingredientes desaconselhados para a saúde e vai denunciar a ausência de lista de ingredientes nestes produtos à Autoridade do Medicamento.

De acordo com a Deco, numa amostra de nove produtos de maquilhagem para crianças usados no Carnaval, todos incluíam ingredientes desaconselhados para a saúde ou desrespeitavam as regras de rotulagem.

Na visita feita a algumas lojas entre os dias 10 e 13 deste mês, a Deco verificou que a lista de ingredientes obrigatória nestes produtos, por poderem conter químicos capazes de causar reacções alérgicas e irritações em peles mais sensíveis, não estava indicada na embalagem de alguns deles.

"Ainda não havia muita oferta, nomeadamente nos supermercados. A pesquisa não foi exaustiva, mas reunimos uma amostra de nove produtos que não cumprem os nossos requisitos, por conterem ingredientes suspeitos de provocar doenças. Além disso, três [dos nove] não incluíam a lista de ingredientes, o que viola a lei", refere a Deco numa nota disponível no seu 'site' na internet, sublinhando que vai denunciar o caso ao Infarmed para que os produtos sejam retirados do mercado.

"Se há suspeitas sobre a segurança dos ingredientes, porque são usados nos cosméticos", questiona a Deco, que frisa que "ainda não existem estudos que comprovem de forma inequívoca os efeitos negativos dessas substâncias".

Além disso, insiste, "vários factores influenciam o impacto desses ingredientes na saúde, como o grau de exposição, de absorção ou até a sua formulação química".

"Até que os estudos eliminem todas as dúvidas sobre a segurança de tais substâncias, seguimos o princípio da precaução. Para diminuir possíveis impactos negativos na saúde, desaconselhamos o uso de cosméticos com estes ingredientes, principalmente em crianças (em que a taxa de absorção pode ser maior) e em produtos que ficam na pele (o que contribui para uma maior absorção)", acrescenta.

Como exemplo de ingredientes desaconselhados nas pinturas faciais a Deco aponta os parabenos Propyl e Buthylparaben, usados como conservantes em cosméticos e em produtos de higiene corporal.

"Suspeita-se que alguns atuem como desreguladores endócrinos e contribuam para o aparecimento de problemas hormonais e doenças, como diabetes e infertilidade", recorda a Deco.